Fotodepilação

depilacao-luz-pulsada

O que é?

A Depilação com luz pulsada, ou Fotodepilação, com a utilização de feixes de luz destrói a célula que dá origem ao pelo. Eles são regulados conforme a pele e o tipo de pelo. Isso ocorre pelo controle do espectro de luz, permitindo que cada depilação seja perfeitamente adequada à pele da pessoa que está fazendo o procedimento.

Este procedimento indicado para todos os tipos de pele, inclusive peles com tonalidades diferentes e principalmente negras.

A fotodepilação é um procedimento muitas vezes indolor para algumas pessoas, pois possui menor temperatura.Em algumas regiões mais delicadas, como a área íntima, um pequeno desconforto costuma ser frequente.

É preciso uma avaliação minuciosa do seu tipo de pele, espessura e cor do pelo. Mas o tratamento de depilação duradoura, é indicado para pessoas que desejam eliminar de vez os pelos que incomodam.

Ele é inclusive, recomendado para casos de foliculite grave e também, para outras patologias, que causam o crescimento de pelos em lugares muito incômodos ou indesejados. Um exemplo disso é o excesso de pelos no rosto para as mulheres, ou nos seios.

A luz pulsada tem um custo menor, além de ser um procedimento que envolve menos riscos aos adeptos. Além disso, o método está cada vez mais acessível à maioria das pessoas. Portanto, vale a pena saber mais sobre essa relação custo-benefício para escolher o método de depilação duradoura mais adequado para você.

As sessões levam em torno de 30 minutos por região.

Áreas de depilação

As áreas que podem ser depiladas são as mais diversas. As mais procuradas, no entanto, são aquelas que mais trazem incômodo, que são os pelos do rosto, nos seios e na região íntima — especialmente virilha— para as mulheres. Nos homens, a barba e as costas.

Contra indicações

  • Pacientes que estiverem se submetendo a processos de bronzeamento naturais ou artificiais até 4 semanas antes do tratamento;
  • Gestantes;
  • Em áreas com manchas suspeitas ou que contenham tecido potencialmente canceroso;
  • Local de tratamento com tatuagem ou maquilagem permanente;
  • Apontar diretamente para os olhos das pessoas ou animais;
  • Aplicação direcionada ou sobre os olhos;
  • Presença de dispositivo eletrônico implantado (Ex: marca-passo cardíaco);
  • Paciente com epilepsia fotossensível;
  • Uso concomitante de medicamentos fotossensibilizantes;
  • Pacientes que apresentam particular sensibilidade à irradiação solar ou enfermidades relacionadas com fotossensibilidade (ex. porfiria, erupção a luz polimórfica, urticária solar, lúpus e outras doenças autoimunes);
  • Pacientes com déficit de cicatrização devido ao Diabetes Mellitus ou outras patologias;

Pós procedimento

Fazer manuteções de 3 a 4 aplicações anuais após todas a aplicações que cada cliente necessita.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *